sábado, 2 de junho de 2018

Cuidado com os falsos Pastores II



Antes de iniciarmos, é bom a leitura da primeira parte deste tema: 
É necessário que se alguém procurar uma igreja evangélica hoje para congregar atente para os textos bíblicos a seguir, pois ao detectar algumas das características, expostas neste texto e com os textos bíblicos aqui citados, deve se preocupar ,pois muito do quem vier aprender nestas igrejas evangélicas, nada mais é do que artimanhas para segurar, prender pessoas aos interesses de homens inescrupulosos, ensinamentos de homens, quando não de demônios, ou simplesmente enganados quanto ao verdadeiro Evangelho de Cristo. O texto bíblico a seguir nos esclarece que não devemos ouvir tais pregadores. Interessante que Paulo explica nos versos anteriores a estes, que estão expostos a seguir, a necessidade de se levantar pessoas e estas possuírem o dom do Espírito Santo para determinada tarefa no meio do povo de Deus. Tudo para que a Igreja seja aperfeiçoada, como é descrito a seguir: 


E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,(Efésios 4:11-13)

A ideia central sempre foi a prevenção para não cair no erro, engano. Pois a igreja com pessoas que estavam dispostas a estudar as Escrituras e ensina-las, de acordo com a vontade do Espírito Santo, que eram os doutores, mestres, evangelistas, pastores, deveriam zelar pelo bem estar do povo de Deus na Igreja e as verdades bíblicas expostas ao povo, como no texto a seguir está proposto:


Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Efésios 4:14Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, Perversas contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais. (1 Timóteo 6:3-5)

Então os textos bíblicos continuam nos ajudando a não errar o alvo, os APÓSTOLOS (verdadeiros), continuam a nos ajudar a distinguir os falsos dos verdadeiros, como descreve a Bíblia nos textos a seguir:

“E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.”  (2 Pedro 2:1-3)

No texto acima se destacam os pontos: falsos profetas e falsos doutores. De forma interessante a Bíblia deixa claro que não é simplesmente por ter um diploma de mestrado, ou o individuo ser uma homem culto, erudito em alguma área, até mesmo teológica, que o mesmo não corra o risco de estar ensinando heresias. Muitos hoje se gloriam de ter um pastor cheio de diplomas ou mesmo pertencer a uma Igreja tradicional onde se zela pelo conhecimento teológico, do tipo, quanto mais erudito melhor. Na maioria das vezes estão tão seguros dos ensinamentos destes homens, que não se preocupam em questiona-los sobre alguns pontos que defendem. O problema é que Satanás também usa eruditos em teologia, doutores e mestres. A Bíblia não faz esta distinção, a Bíblia diz nos tempos dos nossos irmãos no passado bíblico, existiram doutores, que trouxeram heresias para os cristãos. Assim fica aí um alerta para as igrejas que exaltam seu status de ser uma igreja de grande status intelectual, ainda não é o bastante, para não errar. 

Dentro deste pensamento, proponho logo um ponto de discussão polêmico, que envolve a forma doutrinária da Igreja Cristã Reformada no Mundo. Sugiro a discussão do tema Homossexualidade como exemplo, mesmo sabendo que entre doutores em teologia, eruditos de diversas áreas ligada a religião, como intelectuais, ainda temos muitos outros temas divergentes doutrinários que se poderia discutir como heresias favorecidas, por diversas denominações evangélicas, mas há uma carência de mostrar como igrejas com auto nível de formação teológica, conseguiram apenas ser celeiro de falsos profetas na modernidade, mesmos sendo doutores e mestres. Este tema é suficiente pelo seu alto grau herético. Podemos trazer algumas decisões de Igrejas históricas tradicionais como Igrejas  Anglicana, Metodista, Luterana e Presbiteriana, dos EUA, Alemanha, Inglaterra,  onde seus teólogos, divergem quanto a interpretação das Escrituras sobre o tema homossexualismo, adotaram bispos, bispas, pastores gays e lésbicas. O problema nunca esteve em pessoas que se decidiram viver suas vidas do jeito que quiserem, mas forçar a teologia Bíblica a aprovação quanto o assunto. No Brasil também tem a contribuição para este grupo, através do Bispo Primaz da Igreja Anglicana do Brasil, Dom Maurício Andrade, onde afirma:


“Orientação sexual não é o que vai definir a nossa salvação”, afirma o bispo primaz da Igreja Anglicana no Brasil, dom Maurício Andrade. “É muito provável que as pessoas homoafetivas fossem acolhidas por Jesus. O Evangelho que ele pregou foi de contracultura e inclusão dos marginalizados”, opina. Segundo o bispo, ao mesmo tempo que não há nenhuma menção à homossexualidade no Novo Testamento, há várias passagens que demonstram a pregação de Jesus pela inclusão. Não só o conhecido “quem nunca pecou que atire a primeira pedra” à adúltera Maria Madalena."


“A Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos ordenou um casal de lésbicas como pastoras na First & Central Presbiteriana Church, em Wilmington, Delaware. O homossexualismo é aceito na Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA)”

"Igreja Anglicana permite sacerdotes gays se tornarem bispos. O anúncio foi feito pela House Of Bishops, a Câmara dos Bispos, que faz parte do legislativo da Igreja Anglicana Londres – A igreja da Inglaterra retirou a proibição que impedia os sacerdotes homossexuais se tornarem bispos, mas com a condição dos religiosos manterem o celibato."https://exame.abril.com.br/mundo/igreja-anglicana-permite-sacerdotes-gays-se-tornarem-bispos/

"Igreja Metodista Unida ordena sua primeira bispa lésbica nos Estados Unidos “A jurisdição Ocidental elegeu a Rev. Karen Oliveto, da Igreja Metodista Unida ‘Glide Memorial’, em San Francisco para servir como bispa da Igreja Metodista Unida." A http://voxlivre.com.br/2016/07/20/igreja-metodista-unida-ordena-sua-primeira-bispa-lesbica-nos-estados-unidos/

"Herdeira da Reforma Protestante, Igreja Luterana na Alemanha abre caminho para casamento gay [...] A iniciativa foi até agora seguida por outras quatro das 20 regionais no país. Em algumas das que ainda não aprovaram a mudança, é oferecida, no entanto, uma benção para casais homossexuais." [...] "A igreja da Reforma precisa se transformar continuamente. Ela não é uma instituição imóvel, mas feita por pessoas e por isso pode aprender", ressaltou Käßmann."

Não carece trazer neste textos outros temas e muito menos as outras denominações evangélicas que adotam a ideia inclusiva levando em consideração o que já foi citado acima, pois o alvo do texto não é tratar as heresias, mas mostrar que falso profeta não são apenas os considerados ignorantes na fé ou no quesito, nível de graduação Teológica. Olhando  para Igrejas como Luterana, Anglicana, Metodista, Presbiteriana, o grau acadêmico teológico é altíssimo comparado a igrejas denominacionais como as evangélicas pentecostais e neopentecostais. Estas possuem heresias infiltradas por causa da ignorância, engano e outros motivos mais? Sim, mas como o principal foco aqui é mostrar os Doutores que a Bíblia mostra como falsos profetas, no momento são suficientes apenas estes exemplo para o  tema.


Os textos a seguir mostram o quanto o mundo está repleto de falsos pastores e os que ensinam em nome de Jesus. Não são poucas vezes que pessoas comuns são enganadas por milagres, revelações, induções psíquicas a tomarem alguma decisão como ofertar, dizimar, fazer um voto, uma promessa, em troca de sua benção que deveria vir de Deus confirmada pelas Escrituras Sagradas, mas vem de especialistas que existem unicamente para dificultar as pessoas chegarem até o Senhor. Observando os textos a seguir se vê claramente um aviso das Escrituras quanto a estes lobos disfarçados de pastores:

“E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.” (Mateus 7:14,15) “Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito.” (Mateus 24:23-25)


“E, se o Senhor não abreviasse aqueles dias, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias. E então, se alguém vos disser: Eis aqui o Cristo; ou: Ei-lo ali; não acrediteis. Porque se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos.”  (Marcos 13:20-22)

“Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já agora está no mundo. Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo. Do mundo são, por isso falam do mundo, e o mundo os ouve.” (1 João 4:1-5)

Diante de tanto aviso contido nas Escrituras, tantas advertências fornecidas pelos Apóstolos, se alguém for enganado em uma congregação por um pastor ou pregador não é por falta de avisos, mas infelizmente pode ser por gostar da sujeira. Pois algumas vezes é conveniente que tudo seja tão podre entre os homens, para que os que são como sepulcros caiados, bonitos por fora e podres por dentro, continuem dando glória Deus e oferecendo seus sacrifícios mancos em forma de barganha como uma tentativa de enganar a consciência que grita dizendo dia e noite, que os tais estão errados, mas ao ouvir um louvor gospel e uma pregação aveludada, logo se sentem confortáveis para seguir suas vidas sendo enganados e enganando. 

Mas qual o motivo que não se consegue combater de forma eficaz tanta heresia nas igrejas tanto tradicionais históricas como as evangélicas pentecostais e neo pentecostais? A resposta é simples, pois está no texto bíblico, onde deixa claro que o coração dos homens se tornam predispostos ao erro com o passar dos tempos. Qualquer um pode conferir nos textos a seguir: 


“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.” (2 Timóteo 3:1-5)


“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (2 Timóteo 4:3,4


Na conclusão deste texto, passo a informação que estão em perigo, tanto os que estão fora da Igreja como os que estão dentro, pois em ambos espaços, Satanás semeia suas ideias enganosas. Ele é ardiloso, astuto, e conhece as formas de enganar eruditos e leigos. O que pode salvar a mente de alguém da corrupção oferecida por seus ensinos camuflados de verdade Bíblica, é o discernimento dos espíritos que falam em nome de Deus em pregações, louvores, palestras, revelações, e até curas pseudo-divinas. Não é por ser pastor, pregador, doutor em Teologia, etc, que o individuo está certo no que doutrina ou ensina ao povo de Deus. E se estiver errado tem que ser repreendido não não interessando o cargo. A regra bíblica é que nossas instruções deve vir dos Apóstolos de Cristo e se o ensinamento dos pastores, líderes da Igreja não forem conforme os ensinamentos dos Apóstolos, não temos obrigações nenhuma de aceita-los, como está descrito no texto a seguir:


Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.
1 João 4:1  “Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito” do erro.” 1 João 4:6

“ Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão. Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras." 2 João 1:8-11


Falsos pastores! Falsos profetas! Quanto mais vocês abrem vossas bocas, quanto mais vocês falam de DEUS, mais se enrolam e mais pecam contra os céus, POIS DEUS NÃO SEPAROU LADRÕES E CORRUPTOS DE CORAÇÃO PARA PASTOREAR SUA IGREJA, chegará o dia em que os tais serviram para cumprir o texto de Apocalipse:

“Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. Mas, ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.” (Apocalipse 22:14,15) “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.” (Apocalipse 20:10) “E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.” (Apocalipse 20:15).

Presbítero
Israel Lopes

Cuidado com os falsos Pastores I


“Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo” (1 João 4:1)

A Bíblia alertou os irmãos em Cristo, se são enganados, são por não prestarem atenção. Os cristãos, precisão procurar entender o que vem a ser "ter a mente de Cristo" (1 Coríntios 2:16), o mesmo texto que fala para não desprezar as profecias, recomenda que tudo seja examinado. Devem examinar todas as coisas (1 Tessalonicenses 5:20,21 ). Acreditar facilmente em qualquer conversa suave e delicada, que parte de alguém que segura uma Bíblia e intitula-se pastor, pregador, missionário, etc. Confiar sem analisar, é abrir as portas do coração para ser enganado, tanto a pessoa como famílias inteiras. A Bíblia não recomenda os irmãos ouvirem sobre Jesus e seu evangelho sem examinar criteriosamente o assunto que está sendo tratado. Muitos não fazem isto por motivo de preguiça, e pagam um preço muito alto. Não é difícil e ninguém precisa fazer curso de teologia para tal coisa, basta questionar-se se Jesus o Filho de Deus falaria as palavras ou teria os gestos e manias de alguns que se dizem  pregadores do Evangelho de Cristo e isto deve ser feito com a Bíblia como regra de fé única.

Deus, nada tem com os que USAM O SEU NOME EM VÃO, ou a Palavra de Deus como escora de planos malignos, para fazer o povo errar. Errar em nome de seus próprios propósitos que insistem ser os planos de Deus. Muitos recebem a instrução dos impostores ministeriais e amparados pelo próprio ministérios, e acreditam, sem examinar se tudo não passa de uma mentira deslavada na massagem do ego pecaminoso do homem que chamam de pregações do Evangelho de Cristo. Mas o interesse é apenas juntar pessoas como fazendeiros juntam gados, para corte e leite. Sejam pastores, missionários, evangelistas, pregadores, cantores gospel, irmãos que tem oportunidade na igreja e passam a expor uma espécie de doutrina secundária às Escrituras, e tantos outros que dizem que Deus está falando por sua boca, mas desprezam o que está Escrito na Bíblia e seguem pelo que acham, geralmente é pelo que é mais conveniente aos seus próprios propósitos do momento.

Estes falsos pastores, profetas, missionários são reconhecidos facilmente, por quem examina as Escrituras, pois suas características são sempre as de colocar suas versões pessoais e seus exemplos pessoais nos textos das Escrituras, usam a Bíblia, solicita que a igreja leiam os versículos que obviamente não negará o engano ensinado a congregação, tudo apenas para apoiar o que querem fazer. No fim só sobram escândalos, descrenças e confusões sobre o que acreditar e seguir como regra dentro de uma igreja regida por um falso pastor. Deus não está com eles pois Deus não semeia a desordem em sua casa, o Espírito de Deus glorifica a Cristo, foi o próprio Cristo quem afirmou isto, então o que acontece com a igreja QUE ESTÃO GLORIFICANDO AOS HOMENS?:

"Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar.” (João 16:13,14)

Vemos no texto a seguir o que caracteriza alguém que se interessa por fazer a obra de Deus, ele tenta avisar de falsos ensinadores, falsas doutrinas, falsos pastores. Alguém que que ensina a verdade não poucas vezes é tido como louco, enquanto corruptos transvestidos de pastores e pregadores que mentem ter interesse pelo bem estar espiritual da igreja é tido por bonzinho e sábio.

Quisera eu me suportásseis um pouco na minha loucura! Suportai-me, porém, ainda. Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo. Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofreríeis.  (2 Coríntios 11:1-4)

Mas para quem quer examinar e tirar a prova, sobre o quanto os que não querem nada além de ser bajulados, muito bem pagos, conforto e riquezas, à custa dos irmãos, que aceitam qualquer um que venha em nome de DEUS ensinar-lhes a Bíblia, os textos que se seguem são mais que suficiente:


E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. (2 Pedro 2:1-3)

É interessante que o Apóstolo Pedro continua seu ensino falando de assuntos que os mesmos que se dizem preocupados com a igreja já se calaram a muito tempo, pois se resolverem abrir a boca para pregar o que a Bíblia afirma, temem ficar sem os aplausos e o apoio de pessoas que amam a bajulação e o pecado, e não querem que as pregações sejam  verdadeiras, mas apenas  suaves e os massageiem.  Existe como observar claramente a separação que o Apóstolo faz dos que Deus se agradou, também das obras que Deus condenou: 

Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo; E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, a oitava pessoa, o pregoeiro da justiça, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios; E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente; E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, por isso via e ouvia sobre as suas obras injustas); Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados; (2 Pedro 2:4-9)

O Apóstolo começa descrevendo o não perdão aos anjos que se rebelaram, depois segue ao mundo antigo a qual foi destruído pelo dilúvio por causa dos ímpios, segue pelas cidades de Sodoma e Gomorra, destruída por Deus, reduzida a cinzas, conclui o Apóstolo Pedro com a proposta de que Deus sabe sim separar os que lhe pretense do restante dos ímpios da terra.  Alega isto por citar na sua epístola o livramento de Deus a  Noé e sua Família, como Ló e sua família. 

Mas não acaba aí, pois o Apóstolo Pedro continua acusando os enganadores, de cristãos desavisados, e também muitos que são corruptos, pois se deleitam com pregações de homens corruptos e falsos profetas. Pedro expõe os que estes falsos pastores e pregadores de um evangelho próprio deles, são na sua opinião:

  • COMO ANIMAIS IRRACIONAIS;
  • HOMENS QUE RECEBEM PAGAMENTO DA INJUSTIÇA E POSSUEM PRAZER NOS DELEITES DO COTIDIANO;
  • HOMENS QUE POSSUEM OLHOS CHEIOS DE ADULTÉRIO;
  • HOMENS COM CORAÇÃO  QUE SE EXERCITA COM AVAREZA;
  • FILHOS DA MALDIÇÃO;
  • NÃO ANDAM POR CAMINHOS DIREITOS;
  • ATÉ JUMENTOS OS REPREENDEM, DE TÃO ERRADOS QUE SÃO;
  • ESTES PASTORES E PREGADORES MUNDANOS QUE DISTORCEM A PALAVRA DE DEUS SÃO COMO  FONTES SECAS, TREVAS DENSAS;  PROMETEM LIBERDADE AOS OUTROS HOMENS QUANDO ELES MESMOS SÃO PRISIONEIROS E VENCIDOS PELO MAL;

Basta observar os tópicos acima e tirar a prova, com o texto bíblico do Apóstolo Pedro abaixo:

“Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção” (2 Pedro 2:12)  “Recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco; “ (2 Pedro 2:13)

Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição; Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça; Mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta. Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva. Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro, Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo. (2 Pedro 2:14-19)


Olhando os textos bíblicos fica claro, que todos estes enganadores, ainda estão entre nós, em nossas congregações, nos púlpitos das Igrejas, falando manso e suave, porém com carne de ovelhas nos dentes e gordura do rebanho escorrendo pelo canto da boca. São lobos, que vivem as custas dos irmãos, ricos, abastados e com seus filhos em ótimas universidades. Tendo por base um ensino duvidoso das Escrituras Sagradas. Porém tudo isto é graças a preguiça que o povo cristãos possui de examinar às Escrituras para confirmação das doutrinas ensinadas pelos pastores. 

Mas se ainda há espaço para alguma tristeza sobre o assunto, temos como antes na igreja primitiva. Os que preferem ouvir os lobos a pastores, e tudo por não conseguirem mais distinguir quem é quem, pois durante muito tempo expostos as mensagens de massagem de egos, prosperidades mundanas, pregações que falam de amor a Cristo, mas apenas ensinam a amar mesmo é o pecado e quando tentam explicar o AMOR DE DEUS, sempre é de uma maneira que não imponha culpa aos homens pelos seus erros e condições deploráveis dentro das igrejas.  

Prosseguiremos no próximo texto: Cuidado com os falsos Pastores II


Presbítero

Israel Lopes




segunda-feira, 7 de maio de 2018

Não julgueis?


“Não julgueis, para que não sejais julgados.” (Mateus 7:1)

Mas o que diz o restante das Escrituras sobre o tema “Julgar”? Será que o pregador teria coragem para discursar?

Olhando para os discursos pomposos sobre alguns temas bíblicos, e o de  Julgar não nos escapa desta análise, não nos parece que cristãos escolhem por continuarem como que camuflados, por de trás das palavras carinhosas e educadas, com desfeche de amor?  Porém parece que o amor demonstrado, é mais inclinado para uma insubmissão à Palavra de Deus.

Olhando para Mt 7:1, levando em consideração os motivos pelo qual foi escrito, qualquer pessoa que tenha o mínimo de vontade de não ser enganado por lobos em peles de ovelhas, podem entender que não é a questão do não poder julgar que está em discussão, mas os que estão julgando, estes sim podem possuir julgamentos duvidosos.  Vamos lista-los:


  • Quando você julga deve ter certeza de que o que está julgando não está incluído também como réu, pois vão te levar a juízo por isto também;

  • Se alguém que julga um problema possui outro problema que impossibilita ele de ver com justiça e equidade o problema do outro, este não deve se atrever a mexer com os problemas alheios, vá resolver os seus primeiro.

  • A hipocrisia é algo detestável para quem está tomando se colocando como quem vai resolver  um problemas alheio , pois remete a pessoas que são falsas, dissimuladas, fingidas enganam sempre com suas intenções, são pessoas que carecem de sinceridade para com os outros, então imagina este tipo de pessoas julgando uma causa.

Apenas estas citações já seriam suficientes para deixar claro que, quem não deve se atrever a sair por aí dando uma de magistrado, decidindo sobre causas dos outros ou vida de alheia. Podemos observar isto no texto a seguir, que por incrível que pareça faz parte do texto que sempre é citado por muitos que gostam de afagos e mimos evangelísticos:

 “Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” (Mateus 7:2-5)

Não paramos por aí, pois se observarmos com um olhar mais humilde e menos de auto justificação, vamos nos deparar com textos, que muitos, que citam Mt 7.1, não consumam citar em suas exegeses particulares. Abaixo cito alguns textos que não tem como interpretá-los destituindo a ideia de “julgar”. Sabemos que todos os textos possuem seu contexto que lhe é devido, mas aos que pretendem errar menos, basta uma lida e vamos logo perceber, que é necessário julgar muito mais do que se calar diante do que está errado, ou supostamente certo. Segue alguns dos textos:

“Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça.”João 7:24

“Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo? E por que não julgais também por vós mesmos o que é justo?” Lucas 12:56,57

“Falo como a entendidos; julgai vós mesmos o que digo.” 1 Coríntios 10:15

“Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.”1 Coríntios 2:15

“Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.” 1 João 4:1

“Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.” Mateus 7:15-17

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:1,2

“Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade. Já por carta vos tenho escrito que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai pois dentre vós a esse iníquo. “ 1 Coríntios 5:8-13

No texto abaixo mesmo que tenha a ideia de ser criterioso no que fazer para edificação e isto vai depender do quanto alguém se doa para agradar o seu próximo, porém que isto seja feito em justiça, pois ao contrários estará colocando o seu próximo em caminhos de trevas e perdição.

“Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Portanto cada um de nós agrade ao seu próximo no que é bom para edificação. Porque também Cristo não agradou a si mesmo, mas, como está escrito: Sobre mim caíram as injúrias dos que te injuriavam. Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança.” Romanos 15:1-4

O texto deixa claro que se alguém está em posição de forte, este não despreze a fraqueza dos demais, que não são iguais a ele. Porém por qual motivo é colocado o texto desta forma? A ideia não é mostrar relaxo, mas cuidado com o próximo, e que este cuidado promova edificação. Então que edificação teria em uma vida que é deixada ao seu próprio entendimento de algo que está lhe prejudicando  espiritualmente?  A ideia de Paulo em exortar a alguém a se doar ao bem de outro, é para algo maior do que capricho do ego de alguém sobre afirmar o que está certo ou errado, Paulo permite aos irmãos entender que o Evangelho é maior, a Graça é maior, e os que a receberam já eram benditos do Pai antes de mesmo de serem apresentada a está mensagem tão poderosa:

“E outra vez diz:Alegrai-vos, gentios, com o seu povo. E outra vez:Louvai ao Senhor, todos os gentios,E celebrai-o todos os povos. Outra vez diz Isaías: Uma raiz em Jessé haverá,E naquele que se levantar para reger os gentios, Os gentios esperarão. Romanos 15:10-12

Vemos neste texto que em nada interfere no julgamento do que está certo ou errado segundo as Escrituras. Então concluímos que o amor não relaxa em aceitar o que está errado em destruir a vida de alguém, se amamos não escondemos o erro de alguém com um tipo de medo de não magoá-lo, ao contrário avisamos, repreendemos, admoestamos na Palavra de Deus mostrando ao nosso irmão o caminho correto a seguir. Isto é amor não fingido.

O que dizer então  das Escrituras Sagradas no seu conteúdo geral? Não deve mais ser lida? Pois o que ela mais faz, é mostrar o quanto os homens estão errados em seus caminhos e Deus sempre certo em suas repreensões.  Isto é um julgamento que deve ser anunciado em vozes de arautos. Mas por causa de alguns que acreditam que o “amor” é capa de erros e subterfúgios para compreensão do pecado e seus efeitos, se tem que escolher entre duas coisas, pregar a verdade bíblica ou não constranger os ouvintes com a verdade bíblica.

O pregador mal informado ou mal intencionado, não importando qual adjetivo dar a este pregador, pois ambas características são prejudiciais ao povo de Deus, apresenta apenas parte da informação, e esta será a que lhe convém.  Direcionando assim seus ouvintes despercebidos para perdição, sempre com um discurso carinhoso e com um desfecho envolvente que unem os telespectadores em torno de textos  oferecidos como pretextos , moldando a Bíblia aos erros comportamentais  dos homens, que sempre diante destes falsos mestres e falsos pastores possuem várias opções e formas de agradar a Deus sem precisarem se separar do mundanismo. Nada que discurse sobre as Escrituras terá valor, se o ensinamento não terminar no arrependimento pelos pecados e salvação em Jesus.

Não permita que transformem o Evangelho de Jesus Cristo dentro da congregação em ideologia banal, barateada pelo comportamento indevido dos homens que amam pecar, ou transformem a espiritualidade revelada nas Escrituras em argumentos de publicidade a disposição de cada um segundo as suas próprias convicções humanas e cobertas de razões pecaminosas, trazendo assim sempre alguns textos bíblicos, sem se preocupar com o que toda Escritura tem a declarar sobre o tema. Pensemos bem de onde procedem as pregações doutrinárias, se dos homens, dos demônios, ou da Palavra de Deus a Sã Doutrina? Só a Sã Doutrina instruirá o indivíduo para mais próximo do Criador. Se um Pastor não aplica a São Doutrina que é a Palavra de Deus, mas antes no lugar coloca seus pensamentos filosóficos e massageia o ego dos indivíduos da sua congregação, ele não ama, pois quem ama repreende o erro e indica o caminho certo a seguir. Não dá para transmitir a Palavra de Deus aos homens sem julgar segundo a justiça da Palavra de Deus. Sem Julgar, será cada um pelos seus próprios caminhos, alguns poucos que se sujeitarem ao Senhor acertarão, mas muitos se perderam pelos caminhos que parecem certos aos seus próprios olhos, mas são caminhos que levam a morte. 

"Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte."

Provérbios 14:12


Presbítero
Israel Lopes

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Por se multiplicar a iniquidade

"E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará." Mateus 24:12.

"Por se multiplicar a iniquidade", a benção do Criador para com a humanidade começa a ser cada dia mais escassa.

Vivemos em um momento na sociedade brasileira, que a indiferença a tudo e todos se torna cada vez mais visível,
ao ponto de quase ser considerado um modo de viver normal de uma sociedade moderna. Como a Igreja também está inserida na sociedade e por motivo de não se preservar debaixo da sã doutrina devido a tantos bombardeios de doutrinamento de homens e demônios, os indivíduos que deveriam mostrar a diferença, acabam sendo iguais. Infelizmente ocorre e é notório isto. Em resumo está explicito no que diz a Bíblia: "E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará." Mateus 24:12.

Só conseguiremos vencer este mal, retornando ao primeiro amor, onde nos lembraremos que Jesus é centro de tudo que é louvável. Quando nossos líderes voltarem a pregar as Escrituras no lugar de suas histórias de vitória e conquistas, tudo voltará ao normal e muitos cristãos voltaram a trilhar caminhos de benção, e se tem benção maior do que os irmãos viverem em comunhão, esta só pode ser a salvação da alma, pois o restante se resume nas maravilhas proporcionada pela comunhão com Deus e os irmãos. Como está escrito: "Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre." Salmos 133:1-3

Se destacam metáforas que conduzem ao entendimento de uma grande benção para os que creem no Senhor Deus Criador: o Óleo precioso sobre a cabeça e o O Orvalho de Hermom. Para um homem não existia no AT sensação mais sublime que se pudesse descrever do que a de receber sobre sua cabeça o Óleo da Unção, era símbolo de uma escolha real pelo Criador para que este recebesse o Espírito de Deus para fazer a vontade do Criador, escolha de Deus. O orvalho de Hermom permite o refrigério. A condensação do vapor noturno produzindo assim o orvalho, onde águas que escorrem pela sua região montanhosa devido a também a neve derretida, fertilizam a região, por isso "Deus ordena ali sua benção. 

Desta forma o Senhor permitiu a riqueza de um salmo deste como o 133, para mostrar que é sim possível reverter a catástrofe que aflige o mundo moderno com a sua indiferença a tudo e a todos. Se a secura e escassez de bençãos, está tomando conta de muitos, é sim devido ao que está escrito em Mateus 24:12.""E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará." Mateus 24:12., mas por outro lado, o Criador nos deu já a solução onde também está escrito em Salmos 133:1-3, "Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união". Que o Criador nos abençoe em nome de Jesus o Salvador!

Presbítero
Israel Lopes

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Mudar a Semente para obter novos Frutos


"Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus."(Romanos 10:3)

Uma nação, um povo, apodrecem politicamente, socialmente e corre o risco de continuar em estado de corrupção no sentido completo da palavra, por muito tempo caso não promova justiça e mudanças de caráter, no seu congresso, nas ruas, nos lares, nos indivíduos. A ausência de justiça, o jeitinho que quebra leis e regras estabelecidas para o bem comum, são as pragas que corrompem todas as classes sociais em uma nação. Uma geração que vive o desprezo pela correção e disciplina, abre portas para uma frouxidão moral que é oriunda da chance e esperança que se dá ao que é mal, e ruim, de tornar-se bom pelos seus próprios caminhos sem a interferência do pensamento oposto. Na política vive-se vive-se a ordem das coisas que se vive nos lares e nas famílias já corrompidas, uma espécie de adocicamento, do que é estragado ruim na esperança de obter melhoras, que não virão, pois a massa levedada não renderá a porção maior do que foi feita para dar. Uma sociedade é colocada sempre em primeiro plano a ideia de que não se deve corrigir ou repreender, ou contestar "verdades" particulares, pois cada um tem seu motivo e razão de como agir e pensar, não importando consequências, permite monstros nascerem e reproduzirem nos lares, escolas, empresas, governos, é inevitável que ocorra a impunidade na política desta nação, pois já vem a ideia forjada do berço. Os cidadãos parecem agir da mesma forma em vários lugares sejam sagrados ou não, parece um mal passado de geração em geração. 

Da mesma forma que não se imagina um filho se tornar homem de caráter desprezando a correção do seu pai, não se pode esperar uma nação de caráter desprezando a justiça e a ordem, como também a correção e disciplina para o bem comum. Um povo, uma nação não irá à lugar nenhum quando seus governantes se sujeitam às suas próprias vontades, políticos e pseudos representantes do povo, destinam suas carreiras a satisfação de suas paixões e desejos individuais, egoístas e ainda com o suor alheio, enriquecendo ilicitamente as custas de milhões que não comem e nem se vestem dignamente. A Bíblia deixa claro que existe filhos das trevas e filhos da luz, deixa bem claro também que possuem obras opostas, o primeiro aceita correção e submete-se a Palavra do Senhor, o segundo despreza o conselho e instrução e segue seus próprios caminhos e é chamado de tolo. O político que despreza o que é correto, também é semelhante a pastores religiosos que também assim fazem. Políticos corrompidos até diante de sua própria lei constitucional que mesmo criou juntamente com suas emendas, desfaz da pratica da justiça, com suas atitudes reprovadas diante do seu próprio espelho. Da mesma forma que vários líderes evangélicos, aliançados com os tais também agem assim seja por conveniência ou presos pelo mesmo mal que apodrece o coração dos homens o "dinheiro". Líderes cristãos que quando colocados diante da Palavra de Deus, ignoram completamente os ensinamentos e doutrinam o que acham melhor para o seu tempo e benefício ministerial, não podem servir de exemplos par nenhum fiel, como político que governa para seu benefício em detrimento do povo que o elegeu não, os dois estão amarrados e nasceram para o mesmo fim, fim de um corrupto apodrecido pela corrupção. 

Por isto a geração que passivamente deixa passar por natural a injustiça e o roubo, pode pagar um preço muito alto pela injustiça que promove quando aceita que o injusto exerça sua própria justiça, seja no Templo ou Plenário, considerado sacro ou profano. A pergunta que não quer calar é: onde estão os justos? Os impios estão a vista de todos e seus nomes tomam os jornais sem cerimônia. Os cristãos, católicos, evangélicos, tradicionais, reformados históricos, pentecostais, onde estão? E as diversas religiões fora do círculo judaico cristão, em que poderá arrazoar sobre as verdades das injustiças e sobre o que é moral, ou será em todos os casos quer divergem com os cristãos como arte, sexualidade, gênero, espiritualidade, continuará com opinião de aspecto amoral? Há de retornar a ideia de um deus para cada atitude e comportamento humano que se distancia do que seria natural para espécie, como na antiguidade? A razão se dobrará a contos e mitos de povos primitivos e seus cultos, pois é mais cômodo não interferir em uma cultura? Então a cultura será fator decisivo no que um povo ou grupo regerá suas leis e regras de convívio? O que está se fazendo para reverter a indisciplina em disciplina, a impunidade em punição devida, a desordem em ordem, o que se está fazendo para tornar-se concreta a justiça? Com estas perguntas percebe-se que muito há que se resolver para uma boa semeadura para um futuro melhor. Mesmo que ignorem a Palavra de Deus, não escaparam os povos das consequências de ignora-las, como está escrito: "O que segue a justiça e a beneficência achará a vida, a justiça e a honra. Provérbios 21:21; E o efeito da justiça será paz, e a operação da justiça, repouso e segurança para sempre." Isaías 32:17
Se entende-se quando se lê que a vida e honra está ligada ao seguir a justiça e frutos de paz e repouso e segurança são também efeitos da justiça, então o contrário é verdadeiro para os que semeiam a injustiça.

Que a humanidade não entenda os riscos que correm não seguindo a Palavra de Deus é compreensível, pois estão em estado de cegueira espiritual quanto as ordens do Senhor Criador do Céu e terra, mas os que falam em nome do Senhor Criador Eterno não podem viver como quem não enxerga a injustiça e muito menos tentados a trilhar pelos seus caminhos ceder. O texto Bíblico aos gálatas mostra o quanto é importante atentar para isto:

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé." Gálatas 6:7-10

Existe uma advertência clara que os que vivem nesta vida devem entender que as atitudes se dividem em espirituais e carnais. A Palavra corrupção coloca o divisor aqui entre o que perece e o que não perece, a ideia é como no ensino fica claro, fazer aqui para ser contabilizado para vida eterna. Existe uma recompensa sim no porvir, mas também existe uma recompensa nesta vida, pois fica claro também que se não sairmos deste plano mortal colheremos. Assim segue a instrução para que "enquanto temos tempo, façamos o bem a todos". Quando o Apóstolo dos gentios coloca "principalmente aos domésticos da fé", não invalida de nenhuma forma que este bem, esta justiça, bondade deva ser levada também ao mundo como marca de quem é seguidor dos preceitos divinos no Evangelho de Cristo que o mundo não conhece. Então passou da hora de cristãos mostrarem e lutarem para um evangelho mais prático, saindo das trincheiras para o ataque a injustiça que tanto aflige.

Algo parecido ocorreu com um povo que tinha responsabilidade de mostrar que a diferença na terra diante de outros povos, porém foram acusados de andar pelos mesmos caminhos de corrupção que outras nações. No texto do Profeta Isaias o texto é claro:

"O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende. Ai, nação pecadora, povo carregado de iniqüidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores; deixaram ao Senhor, blasfemaram o Santo de Israel, voltaram para trás. "Isaías 1:3,4Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal. Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas. Isaías 1:16,17

Parte do texto como está escrito "nação pecadora, povo carregado de iniqüidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores;", mostra como eram as atitudes de um povo que deveria fazer a diferença entre tantos outros povos, mas não fizeram. Que o Senhor Jesus desperte os seus servos para não incorrerem no mesmo erro.

Muitas nações no mundo vivem no momento que escrevo a lei da semeadura na integra, plantou e esta colhendo, em muitas nações será bom mudar a semente para o novo plantio para que não aconteça coisa pior! Que Deus desperte nos homens o senso de justiça e ordem humana para que a bestialidade não tome conta dos povos que se estribam em seus próprios conhecimentos profanos maquiados com a ideia de sabedoria contemporânea, que não passam de antigas tolices. Que o homem desperte para Os conselhos do Senhor, Soberano e Criador, a qual estão registrados em sua Palavra, sua Lei, que como Grande Pai dá aos que querem ser filhos prudentes e não bastardos tolos. Desta forma próximas gerações poderão esperar ver algo mais produtivo e honroso do que o que estamos vendo atualmente.

Uma nação, não é composta apenas de um grupo de pessoas qualquer, mas constituída por uma população que usufrui a mesma origem, língua, religião, cultura, ou seja, são possuem uma história e identidade comuns. Estes aspectos estão dando lugar já a muito tempo a ajuntamento de povos devido a globalização. Povo se restringe a populações de característica jurídica, grupos de pessoas com sua inserção uma ordem do Estado. Compreendendo também como grupos de pessoas sob as mesmas leis, não importando suas crenças, culturas, línguas, raças. Mas que fique entendido que nem no conceito de nação ou povo, desobrigou os céus o dever de glorificar o Criador, como está Escrito: "Louvai ao SENHOR todas as nações, louvai-o todos os povos. Salmos 117:1 É necessário pois segundo está Escrito: "Multiplica as nações e as faz perecer; dispersa as nações, e de novo as reconduz." Jó 12:23, os homens podem até reclamar, questionar, porém Deus nunca deixará de ser Soberano.

Mudemos a semente enquanto é tempo, para que os frutos da próxima colheita não venham apodrecidos como as que já se passaram e a que está passando.

Presbítero
Israel Lopes

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Seguindo a Jesus e não os poderosos da terra


Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; Efésios 2:20

Pensando no texto acima e presenciando a quantidade de falácias que aparecem a cada dia nas Igrejas cristãs evangélicas, se vê o quanto a Igreja Evangélica passou a ouvir e seguir outros que não são os Apóstolos, Profetas e Jesus. No texto acima não existe o nome de líderes políticos poderosos, para que a Igreja venha ouvi-los e fazer tudo que eles decidirem por verdade. Então com quem a Igreja cristã aprendeu a seguir os grandes líderes políticos em suas decisões, quando estas contrariam as Escrituras? 

Os Assuntos que tomam os noticiários estão em volta da decisões de Líderes de grandes potencias mundiais. É de conhecimento de muitos que não há novidades quando falam de territórios no Oriente Médio transformados em palcos de disputas de grandes potências, pois não é de agora que o lugar é colocado como alvos de guerras que com participação efetiva de tropas de grandes potências mundias, para lembra pode-se citar Iraque e Líbano. Assuntos como, como o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, ignorando o povo palestino e seu sofrimento por não possuir um estado reconhecido, mas não apenas isto como também a própria intinção do Estado de Israel, que sem reserva emocional é apregoada por centenas de inimigos dos judeus. Tratando das regiões citadas seria fácil resolver olhando para a inexistência de um dos lados habitando as terras. 


Não é deste texto o objetivo de aprofundar-se nas questões de conflitos políticos e geográficos nem da região do Oriente e nem em outro lugar no mundo, mas usar como exemplo o caso de Israel, Jerusalém e o povo palestino, como ponto de partida e tentar saber até onde estaria correto igrejas cristãs e seus fiéis seguirem a ideia e a marcha de políticos de grandes potências mundiais quanto as suas decisões. Até onde podemos enxergar Jesus Cristo e seu Evangelho nas cruzadas modernas que ameaçam  o mundo globalizado em nosso dias? Como se não bastasse, milhares de evangélicos se levantam em apoio aos líderes destas grandes potências, erguendo a bandeiras de algumas nações e demonizando bandeiras de outras nações. Em particular, como cristãos, estamos tratando do clássico conflito judeu árabe. O Estado de Israel e o povo palestino ainda sem Estado e também não reconhecido nem por Israel e nem por grandes potências mundiais. No lado cristão, muitos como um amuleto de sorte, colocam Israel como povo de Deus e os palestinos recebem a generalização de terroristas, não importando as consequências que se dá aos milhões de Palestinos que moram na região. Entendendo que a bandeira de Israel, é mais uma bandeira entre tantas, é sobre isto que este texto tentará expor, sobre quem a Igreja de Cristo está ouvindo, qual o motivo de tanta idolatria por parte dos cristãos para com a bandeira de Israel? Não bastaria o respeito como nação? O reconhecimento de povo escolhido por Deus, que formado sob Uma Antiga Aliança e que permanece com sua fé sob observação da Antiga Aliança. Será que cristãos em todo o mundo estão sendo liderados pelas Escrituras quanto ao que os Apóstolos, profetas e Jesus ensinaram, definitivamente, as influências são os grandes líderes, que misturam suas conquistas e obras humanas com as conquistas e obras de Deus? 

Os evangélicos, cristãos não são judaizantes, somos cristãos e não judeus.  João explicou, os Apóstolos explicaram, JESUS explicou até Pilatos entendeu, mas os cristãos do nosso tempo preferem ouvir e seguir um Líder Americano, digo americano pois ele começa esta investida, onde sem importar-se com milhões que são afetados por suas decisões decide arbitrariamente sobre Israel e Palestinos. Mas se estende a crítica a qualquer outro líder de grande potência ou governo político. No caso do líder norte americano atual  Donald Trumplíder de uma nação, que aparenta com suas decisões, “todo poderoso”, traz uma forma sutil de idolatria para uma Jerusalém terrestre, promovendo assim a miséria em troca de um nacionalismo judeu e Americano. E o empenho e busca pela Paz onde fica? Empenhar-se pela paz é obrigação cristã. Aquele que se denomina cristão deve se guiar pelos conselhos dos Apóstolos e este é um deles: "... busca com empenho a justiça, a fé, a caridade, a paz, com aqueles que invocam o Senhor com pureza de coração." 2 Timóteo 2:22

Antes de combater a idolatria que evangélicos fazem de Israel como povo de Deus, vamos investigar alguns pontos históricos que envolvem os judeus e palestinos. Quanto a Israel e a forma que os cristãos devem olhar para esta nação, Paulo deixou explicado de forma magistral na carta aos Romanos 9:  Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas; Nem por serem descendência de Abraão são todos filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência. Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência. “ (Romanos 9:6-8)

Ao ler uma noticia: A Liga norte-americana de basquetebol (NBA) retirou esta sexta-feira a menção a “Território Ocupado da Palestina” do seu site, na lista de países dos internautas de todo o mundo que elegem os jogadores para o 'All Star Game'.[...] O governante israelita referiu-se mesmo à Palestina como um "estado imaginário" e considerou que a palavra "ocupado" é suscetível de "causar dano e distorcer os factos e a realidade histórica".
Percebe-se na noticia que a máquina política internacional que favorece o desmerecimento de um povo ainda está funcionando, agora é lamentável que mesmo que indiretamente, através de um povo que sentiu na integra os efeitos desta máquina. Quem quiser pode ler mais sobre o assunto de como os nazistas utilizavam da comunicação para desfavorecer judeus, aliás, que é vasto na internet.  Na enciclopédia do holocausto obtemos informações:
A propaganda nazista também preparava o povo para uma guerra, insistindo em uma perseguição, real ou imaginária, contra as populações étnicas alemãs que viviam em países do leste europeu em antigos territórios germânicos conquistados após a Primeira Guerra Mundial. Estas propagandas procuravam gerar lealdade política e uma “consciência racial” entre as populações de etnia alemã que viviam no leste europeu, em especial Polônia e Tchecoslováquia. Outro objetivo da propaganda nazista era o de mostrar a uma audiência internacional, em especial as grandes potências europeias, que a Alemanha estava fazendo demandas justas e compreensíveis sobre suas demandas territoriais.[...]O regime nazista até o final utilizou a propaganda de forma efetiva para mobilizar a população alemã no apoio à sua guerra de conquistas.”
https://www.ushmm.org/wlc/ptbr/article.php?ModuleId=10005202
Esta ocorrência mostra o quanto estão decididos quanto a retirada dos palestinos das terras em que estão, se não saírem por vontade (que não vai acontecer, pois ninguém sai de sua casa por vontade própria para outro morar) tudo indica que a saída forçada será questão de tempo. Israel e seu Aliado EUA promovem neste ano a maior lambança que já se viu quando o assunto é a busca pela Paz. Interessante que há semelhança nas atitudes, mas com uma campanha de direitos garantidos historicamente e Bíblico. Mesmo que Bíblico pela metade, pois Judeus não acreditam no NT como Livro Sagrado.

Politicamente os britânicos possuem muita responsabilidade no que se refere às terras da palestina, pois abriram mão do controle do local. Criando assim uma instabilidade e tensão que se agravaria mais ainda com a ideia da criação do Estado de Israel na Região. A ideia de extermínio sempre esteve rondando as mentes palestinas, entende-se e por povos palestinos neste caso também judeus. Como os árabes não aceitaram a partilha das terras entre os dois povos, segue-se uma onda de violência que até hoje existe, uma lamentável ideia de extermínio do povo judeu instalou-se nas mentes de alguns líderes árabes. Para Mais informações sobre este tema no site http://www.conib.org.br;
Em 1947, os britânicos decidiram sair da “Palestina que restou”, por não conseguirem administrar os conflitos entre árabes e judeus, e solicitaram à ONU uma decisão sobre o território. Em 29 de novembro de 1947, a ONU, em Assembleia Geral presidida pelo brasileiro Oswaldo Aranha, aprovou o plano de Partilha da Palestina (Resolução 181), com a criação de um Estado judeu e um Estado árabe (note que a ONU não se refere a um Estado palestino, mas árabe). Pois se o território da Palestina seria partilhado, os dois Estados advindos desta Partilha seriam obrigatoriamente palestinos, o árabe e o judeu. Os judeus aceitaram a Partilha; os árabes, não. Resultado: o Estado judeu palestino é Israel; os árabes não aceitaram a Partilha e, nas muitas guerras que se seguiram após a fundação de Israel, mostraram que estavam mais preocupados em destruí-lo do que em construir o seu Estado. Em 30 de novembro de 1947, um dia após a recusa da Partilha pelos árabes, começou uma espiral de violência - incitada pelos líderes árabes e não pelo povo palestino.

O Estado de Israel considera a área da Palestina, (nome dado pelos Romanos para província da Judeia) a terra prometida que por Deus foi prometida ao profeta Abraão. A área abrange Israel, Palestina, Cisjordânia, Jordânia Ocidental, sul da Síria e Sul do Líbano. Os chamados patriarcas a receberam após o Êxodo e conquistas lideradas por Josué. O problema surge neste contexto religioso de forma muito forte, pois os árabes rejeitam, alegando que o filho de Abraão, Ismael, é seu antepassado também. Outro problema que muitos insistem em não lembrar, se refere ao problema de que Israel foi retirado das terras justamente por desobedecerem ao seu Deus seguindo aos costumes das nações que ali habitaram. “Deus avisou o povo “Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Eu sou o Senhor vosso Deus. Não fareis segundo as obras da terra do Egito, em que habitastes, nem fareis segundo as obras da terra de Canaã, para a qual vos levo, nem andareis nos seus estatutos. Fareis conforme os meus juízos, e os meus estatutos guardareis, para andardes neles.  Eu sou o Senhor vosso Deus.” (Levítico 18:2-4).

Israel subiu em conquista em tempos de glória nas mãos de Josué, Davi, Salomão, apesar de que este último gerou a desgraça de Israel, este foi responsável por Israel entrar na estrada da idolatria que daria a perda do direito continuarem habitando nas terras prometidas. Aí se dá Reino do Sul, Reino do Norte, e no final nenhum Reino, pois como promessa de Deus também, embora não lembrada pelos sionistas e nacionalistas americanos, está nas Escrituras a tão grande derrota espiritual de Israel: “Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Assim diz o Senhor: Do mesmo modo farei apodrecer a soberba de Judá, e a muita soberba de Jerusalém. Este povo maligno, que recusa ouvir as minhas palavras, que caminha segundo a dureza do seu coração, e anda após deuses alheios, para servi-los, e inclinar-se diante deles, será tal como este cinto, que para nada presta.” Jeremias 13:8-10;

Mas séculos se passaram e a Palavra de Deus que não é jogada ao vento, ao contrário se cumpre, Israel perde o direito às terras que Deus deu, pois Israel fez o mesmo que as nações que habitavam as terras faziam e isto não agradou ao Senhor Criador Deus dos Hebreus, pois a recomendação foi: “Porque o meu anjo irá adiante de ti, e te levará aos amorreus, e aos heteus, e aos perizeus, e aos cananeus, heveus e jebuseus; e eu os destruirei. Não te inclinarás diante dos seus deuses, nem os servirás, nem farás conforme às suas obras; antes os destruirás totalmente, e quebrarás de todo as suas estátuas.(Êxodo 23:23,24); mas a realidade foi : “Este povo maligno, que recusa ouvir as minhas palavras, que caminha segundo a dureza do seu coração, e anda após deuses alheios, para servi-los, e inclinar-se diante deles, será tal como este cinto, que para nada presta.” Jeremias 13:8-10;

Deus Soberano pode erguer uma nação segundo a sua vontade, ele mesmo disse a Moisés sobre isto, assim não é a nação que Deus ergue que é especial é o Deus desta nação que merece toda a atenção, como fica explicito no texto em Êxodo: “Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz. Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu farei de ti uma grande nação.” (Êxodo 32:9,10). Mas os tempos são outros, no entanto o Deus é o mesmo Deus, porém o seu plano de salvação se cumpriu em Jesus, e Israel como qualquer outra nação tem que se dobrar ao Rei Jesus. A pregação em Atos dos Apóstolos deixa isto claro:

E, levantando-se Paulo, e pedindo silêncio com a mão, disse: Homens israelitas, e os que temeis a Deus, ouvi: O Deus deste povo de Israel escolheu a nossos pais, e exaltou o povo, sendo eles estrangeiros na terra do Egito; e com braço poderoso os tirou dela; E suportou os seus costumes no deserto por espaço de quase quarenta anos. E, destruindo a sete nações na terra de Canaã, deu-lhes por sorte a terra deles. E, depois disto, por quase quatrocentos e cinquenta anos, lhes deu juízes, até ao profeta Samuel. E depois pediram um rei, e Deus lhes deu por quarenta anos, a Saul filho de Cis, homem da tribo de Benjamim. E, quando este foi retirado, levantou-lhes como rei a Davi, ao qual também deu testemunho, e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade. Da descendência deste, conforme a promessa, levantou Deus a Jesus para Salvador de Israel;(Atos 13:16-23)

É inadmissível a volta dos cristãos ao pensamento do Êxodo para fazer justiça, ressuscitarem assuntos mortos e já decididos pela história, remarcarem os territórios, sair apoiando extermínios de povos, se não dá para fazer isso alegando ser bíblico, pois os contextos são outros, o que fazem evangélicos e cristãos do mundo acreditar que estão certos quando aceitam e apoiam as investidas militares contra palestinos ou nenhuma outra nação e povo, alegando que eles estão em terras que não são deles, baseando-se na historicidade bíblica? 
Revendo o texto Bíblico já citado acima (Atos 13:16-23), onde  Paulo solicitando silêncio trás uma explicação evangelística aos de Israel, se percebe claramente que se existem dois povos que não entenderam ainda a grande obra de salvação através de Jesus o Filho de Deus, estes são árabes e Judeus. Mas Jesus nasceu de pais judeus e  o que aconteceu foi mais uma vez ao contrário do que se esperava do Povo de Deus, os hebreus, israelitas,. eles não receberam e nem aceitaram a Jesus como Filho de Deus; “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;” (João 1:11,12)

Nos textos a seguir se observa que a forma idolatra de tratar Israel não é bíblico.

Pregam a preferência de Deus por fatores históricos às suas terras, mas os Apóstolos (rejeitados por eles) nos ensinaram diferente; "Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam." (Romanos 10:12);"Qual é logo a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão?" (Romanos 3:1); "Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo, e em todos." (Colossenses 3:11);

O próprio Jesus deu exemplo e se posicionou quanto ao seu povo e o restante dos povos, e fez questão de mostrar que samaritanos que tanto judeus escondiam por tradições; "Tendo eles, pois, testificado e falado a palavra do Senhor, voltaram para Jerusalém e em muitas aldeias dos samaritanos anunciaram o evangelho." (Atos 8:25);

Quem diria até Pilatos entendeu, que judeus entregando Jesus, rejeitando a ele Jesus, se faziam responsáveis diretos pela sua morte;
"Pilatos respondeu: Porventura sou eu judeu? A tua nação e os principais dos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste?" (João 18:35);

Entre 10 um leproso volta e adora agradece ao Senhor pela cura, vejam só quem ele era, um SAMARITANO. Mostrando mais uma vez que Jesus está além das fronteiras de Israel e Jerusalém:

"E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passou pelo meio de Samaria e da Galileia; E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe; E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos. E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz; E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano."
(Lucas 17:11-16)

E tantos outros textos bíblicos envolvendo os samaritanos poderia-se expor, mostrando que a divisão, a barreira sustentada por Israel e os outros povos, judeus e gentios, já não tinham valor algum diante de Deus pela pregação do Evangelho de Jesus Cristo, mas o evangélico insiste em colocar Israel em lugar de milagreiro e em exclusividade dos outros povos da terra. Na Bíblia está escrito: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16Este texto é mais que suficiente para entender que o nascimento de Jesus Cristo inauguração de uma nova época, uma nova forma de olhar o Deus de Israel, que agora busca na plenitude dos tempos salvar o mundo e não apenas Israel. Que Israel não aceite isto é compreensivo, mas os cristãos seguirem a Israel em uma escalada sionista, não é aceitável. Jesus não escondeu e nem camuflou a vergonha de Jerusalém, não enalteceu Jerusalém, ao contrário acusou-a: "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!" (Mateus 23:37); Jesus também não poupou sentenças as terras dos judeus, mesmo sendo um judeu.  "E tu, Cafarnaum, que te ergues até ao céu, serás abatida até ao inferno; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti."(Mateus 11:23,24);


Jerusalém onde Jesus é o Rei esta é Santa e Universal assembleia de Deus com os seus santos, não é esta Jerusalém terrestre. A Jerusalém terrestre sempre foi palco sangue e idolatria. "Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós." (Gálatas 4:26); Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; À universal assembleia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados; E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel."(Hebreus 12:22-24);
Resta saber com quem os cristãos e evangélicos aprenderam a venerar Jerusalém terrestre e ter Israel como espécie de amuleto? “E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu,” (Apocalipse 21:2); Deus não se esqueceu de sua Palavra, mas não haverá de cumpri-la como o homem quer ou interpreta com suas misturas políticas e ímpias, favorecendo alguns e  cometendo genocídio a outros. “Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu.” (Apocalipse 21:9,10);“E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel.”(Apocalipse 21:12); 

Intrigante é esta revelação para os que idolatram Israel e a Jerusalém terrestre. Israel não precisa acreditar, pois não reconhece o NT como Palavra de Deus, mas cristãos de todo o mundo deveriam sim atentar com mais cuidado para os líderes mundiais de forma crítica, pois não se faz justiça com injustiça. Os nomes dos Apóstolos estão lá, pois o Filho de Deus os escolheu um a um. “E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.”(Apocalipse 21:14); O mais interessante é que, o NT, os evangelhos, Jesus como o Filho de Deus e os Apóstolos não são reconhecidos pela nação de Israel. Assim continuo o meu questionamento, com quem a igreja cristã  aprendeu a idolatrar a nação de Israel?

Que diríamos então, seremos contra Israel em tudo, inimigos de Israel? Claro que não, apenas como cristãos teremos que estar  ao lado da verdade, e se a verdade é Cristo e Israel não aceitou o Filho de Deus, então compactuarmos com quem é contra Cristo é também ser contra a Verdade. Cristo é a mensagem de vida aos homens, qual o motivo que a Igreja cristã e evangélica prefere mensagens de morte? “Aparte-se do mal, e faça o bem; Busque a paz, e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações; Mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal.”(1 Pedro 3:11,12)

O Ocidente está fazendo o bem no Oriente? As nações estão se esforçando para promoção da Paz? Para muitos é difícil, mas aos olhos do Criador está claro e cristalino o engano das nações poderosas quanto aos que não possuem suas terras. Se Deus é Justiça, haverá Justiça. E apoiar a injustiça alegando favoritismo divino é algo terrível para uma sociedade que se intitula piedosa como são os cristãos. Não se sugere a perseguição a Israel e muito menos a nenhuma outra nação, ao contrário sugere-se que seja desenvolvido diálogos de paz para uma resolução sobre os temas de conflito que surgem no presente de acordo com o que temos na atualidade. O Deus do Pentateuco é o mesmo Deus dos Evangelhos e Epístolas dos Apóstolos, é possível ler e compreender isto lendo o texto: "Eu e o Pai somos um". (João 10:30). Quando chegar o tempo em que o Senhor da Terra e Céus preparou para cumprir sua Palavra sobre a nação de Israel e todos os Povos da Terra, ELE o fará sem ter quem o conteste e nem se oponha com sucesso as suas ordens. Os homens soberbos e prepotentes, apenas fazem seu próprio rastro de misérias aumentando ainda mais suas culpas diante do Criador quando em nome do Eterno dizem que estão procedendo em seus atos.  O texto a seguir, traz uma demonstração de Soberania do Criador em cumprir o que prometeu, ou seja, virá das Mãos do Eterno e não das mãos dos poderosos da terra, pois o Senhor não divide sua Glória com ninguém:


"pois "do Senhor é a terra e tudo o que nela existe". (1 Coríntios 10:26); "Ele é o Senhor, o nosso Deus; seus domínio alcança toda a terra. Para sempre se lembra da sua aliança, da palavra que ordenou para mil gerações, da aliança que fez com Abraão, do juramento que fez a Isaque, que confirmou para Jacó como um decreto, e para Israel como uma aliança eterna, dizendo: "A vocês darei a terra de Canaã, a herança que possuirão". (1 Crônicas 16:14-18)

Sendo assim, os homens que confessam conhecer ao Senhor e sua Palavra, possuem o dever de empenhar-se pela Paz e viver e tentar viver em harmonia, pois as Terras de Israel são promessas de Deus e não de homens, mas os palestinos são povos também benditos em Abraão, como diz as Escrituras: "Abraão será o pai de uma nação grande e poderosa, e por meio dele todas as nações da terra serão abençoadas." (Gênesis 18:18). 

Com quem a igreja cristã aprendeu a idolatrar a nação de Israel? A ponto de dar apoio a conflitos armados contra outras nações em desvantagem bélica e econômica no lugar de buscar a Paz?

Não, nenhuma nação em tempos modernos deve aceitar a escravidão física e psicológica, e os esforços dos poderosos se querem agradar ao Criador, ter o sono tranquilo, devem empenhar-se em obter e promover a Paz e não a Guerra. A Igreja Cristã deve sim interceder ao Senhor Rei dos Reis para que Líderes obtenham as melhores decisões possíveis, para que vivamos em paz nesta terra, possamos criar nossos filhos e netos. O contrário disto significa que estão seguindo outros, não a Jesus ou Apóstolos. Nos textos que se seguiram se observa que a forma idolatra de tratar Israel não é bíblico e cristãos do mundo todo devem agir com justiça, promovendo a Paz e não a guerra.

Presbítero
Israel Lopes